Joalheria Autoral

O termo autor de jóias, apesar de ter surgido na década de 50, ainda hoje gera polêmica quanto ao seu entendimento.

Na minha experiência profissional,sinto a Joalheria Autoral como uma vertente das artes plásticas, com o diferencial de utilização de metais nobres e pedras preciosas como base da criação e onde o artista é responsável por toda etapa de elaboração da Jóia.

Em meu próprio atelier crio de forma artesanal a partir de pesquisa de técnicas e matérias, em sintonia com o tema que desejo abordar em cada coleção.

Sigo o mesmo caminho de criação que tracei enquanto coreógrafo: externando minha visão e sentimento, seguindo meu feeling, fatos e época,buscando no resultado a fidelidade e reconhecimento do tema que foi a origem de toda inspiração.

Trabalho em peças absolutamente únicas,onde apenas o conceito é mantido,mas jamais duplicado.Sigo ritos primórdios desde a preparação do metal até a finalização de cada obra.Costumo fundir,forjar e interferir na estrutura do metal,buscando sempre sua forma mais pura para utilização nas jóias, chegando a trabalhar com a a Prata 1000 quilates e o ouro 999 quilates que são os metais, digamos, 'in natura".

Quando crio, trago na mente e na alma o conhecimento de movimentos artísticos,inovações e criações de artistas ao redor do mundo. Por isso, a cada trabalho meu talento busca novas formas de se expressar e mantenho meu foco no objetivo a ser criado,como fazemos ao pintar uma tela em branco,ou esculpir um bloco de mármore,não permitindo assim que apenas o modismo dite a peça a ser feita.

A jóia autoral deve ser atemporal, podendo assim atravessar os séculos sem que fique em desuso.Afinal trata-se de uma obra de arte e não de um simples adorno,ela precisa ter vida,personalidade e brilho próprios.